Viajar é bão demais né?! Viajar e ter contato com a natureza é ainda melhor! Por isso preparamos uma lista de 6 parques na região Norte de Minas Gerais para você descobrir, se encantar e conhecer quando vier por essas bandas de cá…então vem conferir de perto cada um deles.

 

Parque Estadual da Serra do Cabral

O primeiro da nossa lista, fica nos municípios de Buenópolis e Joaquim Felício, a 280 km do aeroporto de Confins em Belo Horizonte, a 150 km do aeroporto de Montes Claros, por onde chega a maior parte dos visitantes à região.

As estradas até as cidades mais próximas são asfaltadas, veículos muito baixos podem limitar o acesso à alguns atrativos e você precisa se preparar para as estradas de terra dentro do parque e nos acessos aos atrativos do entorno.

O parque faz parte da Cordilheira do Espinhaço e recebeu esse nome por ter sido criado para proteger a Serra do Cabral, sua biodiversidade e registros milenares da ocupação humanas nas américas.

A Serra possui altitudes que variam entre 900 e 1300 metros e é um divisor de águas entre os rios das Velhas e Jequitaí, afluentes da margem direita do rio São Francisco.

A paisagem formada por afloramentos rochosos, veredas, matas e cerrado; algumas das espécies mais comuns são as sempre-vivas e palmito doce (Euterpe edulis). O animal símbolo do parque é a anta (Tapirus terrestris), espécie ameaçada de extinção; o parque abriga diversas outras espécies de mamíferos, aves e répteis.

Diversas nascentes brotam de dentro do parque, abastecem as cidades vizinhas e formam cachoeiras maravilhosas, piscinas naturais entre os afloramentos rochosos e que enriquecem ainda mais a paisagem.

Arte Rupestre da Pedra Alta| Lucas Mendes| Rosiane Mendes

Os diversos sítios arqueológicos espalhados pelo parque merecem destaque; são registro de arte rupestre onde predominam figuras geométricas e de animais, provavelmente das tradições São Francisco e Planalto. Algumas figuras de animais se aproximam do tamanho real, e os pigmentos mais comuns nos painéis são o vermelho, laranja e branco.

Existem diversas opções de hospedagem na região, desde as mais simples e aconchegantes, até àquelas com grandes estruturas e alternativas de lazer dentro de suas próprias dependências, como é o caso de alguns resorts.

Entre os atrativos de maior destaque, a própria sede administrativa do parque, conhecida como Casarão da Central é um edifício com mais de 100 anos, a arte rupestre da Pedra Alta, o Lago dos Cristais, a Cachoeira do Boqueirão e a Cachoeira do Riachão valem muito a pena conhecer, você deve aproveitar para ouvir as histórias desses lugares e se encantar com tantas belezas.

 

 

Parque Estadual de Serra Nova Talhado

Abrange os territórios dos municípios de Porteirinha, Rio Pardo de Minas, Serranópolis de Minas, Mato Verde e Riacho dos Machados. Fica a 600 km de Belo Horizonte e 200 km de Montes Claros (onde fica o aeroporto mais próximo).

Historicamente, na região onde hoje é o parque, foram desenvolvidas diversas atividades econômicas, entre elas, a pecuária e o garimpo de cristal e ouro. Atualmente em algumas trilhas ainda é possível encontrar fogões de lenha, feitos de pedra, vestígios de acampamentos e moradias em abrigos de pedra, das famílias que viviam ali.

Os abrigos de pedra são parte da geologia, formada pela Serra Geral e Serra do Espinhaço; repleta de grotas, morros, nascentes, poços e piscinas naturais e diversas cachoeiras, entre elas, a Cachoeira do Serrado, o principal atrativo do parque.

Existem quatro “portarias” de acesso, abertas ao público, por onde os visitantes podem acessar o parque para fazer as caminhadas pelas trilhas, contemplar a natureza, observar a vida silvestre, se refrescar nas águas cristalinas dos poços, cachoeiras e cursos d’água. Informe-se sobre as normas e sobre qual é melhor portaria acessar para determinados atrativos.

A visitação acontece de 8h às 17h todos os dias da semana. Recomenda-se entrada até as 15h no máximo. Confira a seguir, os principais atrativos, os pontos de acesso e as atividades possíveis de serem praticadas em cada um:

Poço do Jacaré E Escorregador – acesso: Serra Nova/ Rio Pardo de Minas

Talhado – acesso: Serranópolis de Minas

Cachoeiras do Serrado – acesso: Porteirinha

OBS: somente as cachoeiras do Serrado, Poço do Talhado, Poço Jacaré e Escorregador estão abertos à visitação, os demais estão vinculados as travessias e necessitam de acompanhamento de um condutor (guia) local devidamente credenciado pelo parque.

Saiba como conhecer o Parque Estadual de Serra Nova e Talhado clicando aqui

Atenção para as recomendações

Poço da Sereia| Equipe PE Serra Nova e Talhado

Os atrativos abertos à visitação estão concentrados em 3 municípios diferentes e toda estrutura de restaurantes e hotéis utilizada para atender os visitantes, está localizada em comunidades do entorno do parque, próximo aos atrativos.

O consumo de bebidas alcoólicas e a entrada com recipientes de vidros nos atrativos não é permitido.

O Parque possui um sistema de travessias com guias cadastrados junto à unidade de conservação, essas travessias têm duração de alguns dias, e os níveis de dificuldade das trilhas variam entre moderado e difícil. São diversos atrativos visitados: cachoeiras, formações rochosas e pinturas rupestres. Maiores informações é só chamar WhatsApp (38) 9 9892-8953.

 

Parque Estadual da Lapa Grande

O Parque Estadual da Lapa Grande, está localizado na zona rural de Montes Claros, a 400 km de Belo Horizonte. O aeroporto Mario Ribeiro, próximo ao centro da cidade, recebe os principais vôos para a região Norte de Minas Gerais.

O acesso é relativamente fácil; são aproximadamente 13 km entre a cidade e a sede do parque, de onde iniciam as visitas, parte desse trecho (5 km) de estrada de terra, normalmente está em boas condições.

A criação do parque tem o objetivo de proteger e conservar um importante conjunto de cavernas, abrigos, os mananciais de fornecimento de água para Montes Claros e todo o entorno, flora e fauna locais.

Dentre as mais de 50 cavidades registradas no parque, destaca-se a Lapa Grande, pelo fato de ser uma das maiores do Estado, com 2,2 quilômetros de extensão, e por sua importância histórico-cultural. Nos primórdios da história de Montes Claros, a Lapa Grande já possuía este nome e era conhecida e frequentada pelos moradores da região.

Os afloramentos rochosos de calcário, chegam em alguns casos, a mais de 1.000 metros de altitude; onde brotam diversas espécies de cactos e de bromélias bem adaptadas ao clima do sertão mineiro. O Parque abriga importante fragmento do bioma cerrado e de mata seca; formando duas paisagens muito diferentes na estação seca e na chuvosa, justamente por estar localizado numa zona de transição entre cerrado e caatinga.

O centenário Casarão das Quebradas é um importante patrimônio histórico do parque, antigamente utilizado como local de apoio aos tropeiros que levavam mantimentos para serem comercializados.

 Atrativos e atividades

Entrada da Lapa Grande| Equipe PE. Lapa Grande

Preparamos uma lista das trilhas recomendadas para as atividades de caminhadas e observação de vida silvestre.

Trilha da Lapa Grande

Trilha do Boqueirão Da Nascente

Trilha da Lapa Pintada

Trilha da Ponte De Pedra

Rota para Ciclismo

As atividades de ciclismo poderão ocorrer somente em alguns trechos, consulte a gestão do parque para saber sobre quais são.

 

Parque Estadual de Grão Mogol

O Parque Estadual de Grão Mogol fica no município de Grão Mogol, onde a maior parte de sua extensão territorial está na Serra Geral, conhecida na região como Serra da Bocaína.

Pode ser acessado através do aeroporto de Montes Claros, como uma das principais portas de entrada, e pelas rodovias MG 307 e pela BR 251, ambas em boas condições de trafego, exceto pelo volume de caminhões no trecho da BR 251 que tornam a viagem mais lenta e exige maior atenção.

O relevo montanhoso, é formado pelo vale do Rio do Bosque, outros rios menores e por grandes chapadas, como a Chapada do Bosque, que chega a 5 km de extensão, a Chapada do Bosquinho e a Chapada do Cardoso.

O parque é abrigo de lindos campos de sempre vivas e dos vales dos rios do Bosque e Ventania, responsáveis pelo toque de magia dado a paisagem, junto à flora da região, com diversas espécies que só ocorrem em ambientes específicos do parque, as mais comuns são as canelas de ema, de grande importância ecológica. Também existem alguns buritis nas veredas em áreas mais isoladas.

Entre os principais atrativos que podem ser visitados, dois caminhos tombados como patrimônios históricos merecem destaque. O primeiro deles, é a Trilha da Tropa, um caminho com trechos calçados de pedra, com 8 km, que cruza a serra. O caminho era utilizado pelas tropas que traziam mantimentos e levavam diamantes de maneira clandestina.

São vários atrativos na trilha, os principais são, a Ponte de Pedra e o Curral de Pedra, uma estrutura de pedras que servia de apoio aos tropeiros. Durante a caminhada existem mirantes, antigas minas de diamante, cursos d’água e paisagens maravilhosas que vale muito a pena conhecer!

O outro caminho é o Caminho do Barão, construído pelos escravos do Barão de Grão Mogol, o senhor Gualter Martins Pereira, toda pavimentada em cantarias (pedras irregulares), e margeadas por muros de arrimo em rocha. Uma desafiadora obra de engenharia, construída nas encontras íngremes da serra, usada para unir a sua fazenda do Barão ao Arraial de Grão Mogol. É a trilha preservada mais importante no município e até na região do Norte de Minas. O lugar possui uma beleza singular.

Trilha do Barão| PE de Grão Mogol

O Barão era um representante da coroa portuguesa e era a personalidade local mais importante na época da extração de diamantes; por isso a trilha foi considerada por todos como uma estrada real. O Barão e sua família eram transportados em liteiras pelos escravos até chegar à cidade e até mesmo depois da mudança do Barão para Rio Claro (SP), lavradores da região continuaram utilizando a trilha.

Reserve no mínimo 3 dias para conhecer a história e as diversas atrações naturais que te aguardam. O ideal é ficar hospedado em Grão Mogol, existem diversas opções de hospedagem, você precisa pesquisar para saber qual é mais adequada para o seu caso.

 

Parque Nacional Cavernas do Peruaçu

A palavra Peruaçu, é de origem indígena e faz referências ao grande vale escavado na rocha calcária e as grandes caverna existentes no vale de rio Peruaçu, responsável pela construção de cenários cinematográficos de tirar o fôlego e causar reflexões sobre nossa ancestralidade e nossa noção de escala de grandiosidade quando estamos imersos entre os paredões e dentro das cavernas.

Criado com o objetivo de proteger o patrimônio geológico, arqueológico, a fauna e a flora local, o parque abriga, cavernas enormes, painéis de arte rupestre coloridos, com diferentes técnicas aplicadas, inúmeras figuras de diferentes períodos, estilos e cores. Estudos comprovam que a ocupação do Vale do Peruaçu é de pelo menos 12 mil anos.

O aeroporto mais próximo fica em Montes Claros, a 200 km, distância percorrida, que será recompensada ao chegar ao Cavernas do Peruaçu. Para acessar os atrativos abertos à visitação, depois de passar pelo Centro de Visitantes para o os procedimentos de entrada, além de disposição para caminhada, você vai precisar de um veículo para se deslocar entre os 3 núcleos, onde ficam os estacionamentos e de onde iniciam as caminhadas.

Distâncias de Belo Horizonte e outras capitais

Belo Horizonte – 662 km

Brasília – 573 km

Rio de Janeiro – 1.092 km

São Paulo – 1.222 km

Saiba mais sobre como conhecer o Peruaçu acessando as opções de pacotes em nosso site, clique aqui

A portaria do parque fica em Januária, a 45 km da cidade, onde existem opções de hospedagem, assim como em Itacarambi cidade que fica a 20 km da portaria. É possível encontrar hospedagens e boas opções de restaurantes nos distritos de Fabião 1 e Fabião 2, bem mais próximo, entre 7 e 1 km da portaria.

Lapa do Janelão| Lucas Mendes

Com mais de 140 cavernas e aproximadamente 100 sítios arqueológicos catalogados; o Peruaçu possui um patrimônio de relevância mundial. Para apresentar suas maravilhas ao público, 6 caminhos estão abertos ao público:

Caminho da Lapa do Janelão,

Caminho da Lapa Bonita e Lapa do Índio

Caminho da Lapa do Boquete

Caminho da Lapa dos Desenhos

Caminho da Lapa do Rezar

Caminhos da Lapa do Caboclo e Carlúcio

Caminhos do Arco do André que inclui outros atrativos como: Lapa dos Troncos, Lapa do Cascudo, Lapa do André, Mirante do Mundo Inteiro

Saiba mais sobre os roteiros do Parque clicando aqui

Fique atento a essas dicas

Com tantas opções de lugares para visitar no parque, separe pelo menos de 2 a 4 dias livres para sua visita.

Considere seu condicionamento físico ao escolher ao definir qual será a sua programação, pois as trilhas têm níveis de dificuldade que variam entre leves a pesadas.

As visitas devem ser agendadas com antecedência de até 3 dias e obrigatória o acompanhamento de um condutor.

É obrigatório o uso de calçados fechado e para a trilha do Arco do André é obrigatório o uso de calça.

Use roupas confortáveis durante as caminhadas, protetor solar, repelente para insetos, leve água e lanche de trilha. Os equipamentos de segurança necessários são fornecidos pelos condutores e agências de turismo, promotoras das atividades.

O parque não cobra ingresso para seu acesso e não possui opções internas de alojamentos e áreas de camping.

Para saber mais sobre nossos roteiros clique aqui.

 

COMPARTILHE:

Deixe seu comentário